segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Resenha: Feios, de Scott Westerfeld

Imagine viver em um mundo onde o “normal” é considerado “feio” e onde a “perfeição” é lei. Esse é o universo descrito no livro Feios (Uglies), do escritor norte-americano Scott Westerfeld, lançado no Brasil em 2010 pelo selo Galera, da editora Record. O livro é uma metáfora que nos faz pensar sobre a verdadeira importância da aparência física.

Sinopse: Tally Youngblood é feia. Não, isso não significa que ela é alguma aberração da natureza. Não. Ela simplesmente ainda não completou 16 anos. Em Vila Feia, os adolescentes ficam presos em alojamentos até o aniversário de 16 anos, quando recebem um grande presente do governo: uma operação plástica como nunca vista antes na história da humanidade. Suas feições são corrigidas à perfeição, a pele é trocada por outra, sem imperfeições ou, nem pense nisso, espinhas, seus ossos são substituídos por uma liga artificial, mais leve e resistente, os olhos se tornam grandes e os lábios, cheios e volumosos. Em suma, aos 16 anos todos ficam perfeitos.

Tally mal pode esperar pelo seu aniversário. Depois da operação, vai finalmente deixar Vila Feia e se mudar para Nova Perfeição, onde os perfeitos vivem, bebem, pulam de paraquedas, voam a bordo de suas pranchas magnéticas e se divertem o tempo todo. Mas, enquanto espera que as poucas semanas até completar 16 anos passem, Tally precisa se distrair. Uma noite, ela conhece Shay, uma feia que não está nem um pouco ansiosa para completar 16 anos. Pelo contrário: Shay pretende fugir dos limites da cidade e se juntar à Fumaça, um grupo de foras-da-lei que sobrevive retirando seu sustento da natureza.

Para Tally, isso é uma maluquice. Quem iria querer ficar feio para sempre, ou se arriscaria a voltar para a natureza e queimar árvores para se aquecer, em vez de viver com conforto em Nova Perfeição e se divertir à beça? Mas, quando sua amiga desaparece, os Especiais, autoridade máxima deste novo mundo, propõem um acordo a Tally: se unir a eles contra os enfumaçados ou ficar feia para sempre. E a escolha de Tally irá mudar o mundo para sempre.

O livro trata de forma fantasiosa um assunto atual: a busca pela perfeição a qualquer preço. A mensagem subliminar que o livro passa faz o leitor parar e refletir a todo o momento a forma contemporânea de encararmos a vida.

A história é narrada em um período não especificado no futuro, onde devido a ganância do ser humano, o mundo foi praticamente devastado e a natureza sofre conseqüências há anos pelos danos provocados pelos homens.

No início do livro, conhecemos um único ponto de vista: o de uma adolescente que cresceu acreditando que a melhor coisa que pode lhe acontecer é completar 16 anos e se tornar perfeita. Essa é Tally. Mas, apesar de pensar desta forma, Tally é forte, esperta, divertida e não perde uma oportunidade para quebrar as regras de uma cidade cercada de pessoas frias e quase sem emoção.

A forma como a narração foi feita chegou a me fazer pensar como Tally em vários momentos. E por isso, diversas vezes, no início da história, desejei que tudo seguisse seu ritmo e que Tally se transformasse mesmo em Perfeita. Parecia ser o mais correto... e isso me surpreendeu. O autor Scott Westerfeld faz o leitor de fato se sentir um integrante da Vila Feia, com seus costumes e regras peculiares.

Já na segunda parte do livro (ele é dividido em três), conhecemos a outra versão da história. Tally descobre que ser “feio” não é um defeito e que os “perfeitos” não são tão perfeitos assim. É nesta parte que conhecemos um dos principais personagens da história, David, um rapaz nascido e criado fora dos costumes da Vila Feia e por quem Tally se apaixona.

Adorei a forma como o autor narra o livro. Ele trabalha com a descrição de forma bem completa, com minúcias do cenário e com toques e dicas que deixam no ar alguns detalhes. Por vários momentos ele citou ruínas enferrujadas que me fizeram pensar se ele estava falando de Nova Iorque ou outra grande metrópole devastada pelas ações humanas.

O livro termina com um gancho muito bom para a sua continuação chamada “Perfeitos” (livro também lançado no Brasil pela Record, no ano de 2010). Não vejo a hora de começar a ler o segundo livro. Realmente a história desta saga me conquistou.

Feios faz parte de uma série com 4 livros lançados, além de um especial com detalhes sobre o universo narrado na saga:
#1 Feios (Uglies)

#2 Perfeitos (Pretties)

#3 Especiais (Specials)
(previsão de lançamento no Brasil para março de 2011)

#4 Extras
(ainda não lançado no Brasil)

Confira o booktrailer de Feios:


Para quem gosta de ficção científica disfarçada de livro infanto-juvenil, Feios é um prato cheio. Recomendadíssimo!!!

Ficha Técnica:

Título Original: Uglies
Título Nacional: Feios
Autor: Scott Westerfeld
Ano de lançamento no Brasil: 2010
Editora: Galera
Avaliação:

Comentem! Beijos! Fiquem com Deus! ^-^

5 comentários:

JC disse... [Responder comentário]

Amei a resenha!
Estava com muita vontade de ler esse livro e agora mal posso esperar, acho que vou comprar!
Parabéns.
=)

Livia disse... [Responder comentário]

Eu nao gosto dessa serie! O.O (nao me bata... hahhhahah)

Lucy disse... [Responder comentário]

Eu já li algumas resenhas e todas elas são positivas para essa sage. To com esse livro lá em casa e quero ler. >.< espero gostar. hahaha

Jaqueline de Marco disse... [Responder comentário]

@Livia

Pq não gostou, Livia?
Eu gostei muito mesmo do livro, achei legal o enredo e a metáfora da história.

Malu disse... [Responder comentário]

Ganhei um encarte com o primeiro capitulo dos dois primeiros livros e adorei. Confesso que não achei ele muito interressante no inicio, mas agora eles ja fazem parte da minha lista ;)

Postar um comentário

Siga as instruções abaixo:
- na área em branco abaixo deixe algum comentário sobre o post;
- no espaço "Comentar como:" escolha a opção que mais se adequar a você;
- clique no botão "Visualizar";
- e por fim, clique em "postar comentário".

ıllı BLOG NA PRATELEIRA ıllı

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

Visitas

Link-me