quarta-feira, 20 de julho de 2011

Resenha: Sempre ao seu lado, Rachel Gibson

Olá, faz muito, muito, muito tempo que não posto nada por mil razões, algumas justificáveis e outras nem tanto (#my_bad). Então hoje eu resolvi postar essa resenha sobre o último livro que li - e hei de voltar EM BREVE (juro) com outras resenhas e coisinhas pra vocês.

Sinopse: Considerado pelos leitores um dos melhores romances escritos por Rachel Gibson, "Sempre ao seu lado" narra a história de Maddie Jones. A personagem volta à cidade onde nasceu, com pretexto de concluir seu livro, um thriller policial com todos os ingredientes de um bom suspense, duplo homicídio e traição, em uma trama envolvente. O que ninguém sabe é que os fatos são verídicos, e boa parte foi descrita no diário de sua mãe, assassinada junto com seu amante. Maddie Jones está determinada a descobrir o passado sórdido da cidade. No entanto, ela não conta com a possibilidade de se sentir atraída por Mick Hennessy, filho da mulher traída que matou sua mãe. (Fonte)



Em primeiro lugar, essa sinopse está em parte errada. Maddie não retorna à cidade natal, ela nasceu em outro lugar. Em segundo lugar, todos sabem que ela é escritora e que vai escrever sobre um crime que de fato aconteceu na cidade em questão e que foi um escândalo na época.

Maddie Jones, mais conhecida como Madeline Dupree, é uma escritora especializada em escrever sobre crimes reais, caracterizados por serem assassinatos em série. Após encontrar os diários da mãe na casa da recém-falecida tia-avó que a criou, Maddie decide retornar depois de 29 anos à cidade de Truly para escrever sobre mais um assassinato verídico. Porém, com uma diferença: foi um crime passional e não um assassinato em série. A mãe de Maddie, Alice Jones, foi morta com seu amante Loch Hennessy pela esposa dele, Rose, que logo em seguida se matou com um tiro na boca.

Chegando à cidade, ela vai à procura dos filhos de Loch e Rose e, logo que encontra Mick, surge uma atração mútua entre os dois. Porém, quando Mick descobre o que Maddie veio fazer na cidade - sem de fato saber a verdadeira identidade dela - ele se torna arredio e pede que Maddie mantenha distância dele e de sua família, que consiste em sua irmã Meg e o sobrinho Travis. Maddie sabe que tem que manter Mick à distância, pois para ela é um erro se envolver com o homem que levou sua mãe à morte - tanto que omite o fato de que ela é a filha da amante do pai de Mick.

Claro que os Hennessy não queriam que o livro fosse escrito, uma vez que temiam que a mãe fosse retratada como louca ou uma pessoa má, mas Maddie afirmava que faria um relato imparcial da história. Mick, por sua vez, por mais que tentasse ficar longe de Maddie, não conseguia tirá-la da cabeça. É o próprio Mick quem dá o primeiro passo para que as coisas esquentem entre eles - e Maddie seria uma louca se resistisse. Os dois juntos era química pura e eles começaram um relacionamento à base da atração sexual, que foi se desenvolvendo no decorrer da estória.

Pois é, a trama não tem mistério, é um romance. Eu gostei da forma como foi abordado o processo de criação de Maddie para o livro: ela pegou dados do diário da mãe, entrevistou pessoas, verificou os dados do crime... A polêmica sobre o livro de Maddie e os Hennessy girava sempre em torno de quem seria o culpado - se era Loch, que nunca escondeu suas amantes de ninguém, nem da esposa; Rose, que era uma esposa ciumenta e emocionalmente instável ou Alice, que se envolveu com um homem casado (e aqui abrimos parênteses para o famoso estereótipo de que "a amante/a outra é sempre a vagabunda/piranha da história"), mas Maddie queria apenas mostrar os fatos, não simplesmente atribuir a culpa a alguém e fim de caso.

A estória é bacana, romance adulto um pouco clichê, mas em um âmbito mais realista, eu diria; me prendeu mais para o final da trama e retrata bem o dilema de um casal que tem um passado traumático em comum. As cenas picantes entre os dois são de tirar o fôlego, confesso, mesmo porque o Mick é... uau! rsrs Enfim, as personalidades de Maddie e Mick são fortes e sempre batiam de frente, um ponto que eu gostei muito, porque assim aumentava toda aquela tensão entre eles. rsrs

O principal ponto negativo é a sofrível adaptação para o português. Sim, sofrível, porque não houve uma revisão decente. Vários erros de tradução no que diz respeito à construção de frases e parágrafos inteiros, erros grotescos de português como um "derrepente"... Francamente, é frustrante ler um livro assim. Recomendo que leiam em inglês - mesmo porque, o primeiro livro dessa série Amigas Escritoras (Writer Friends Series) da Rachel Gibson (que são quatro livros, a Jaque fez a resenha do segundo livro, Sem clima para o amor, aqui) não foi publicado no Brasil.

Ficha técnica:
Título Original: Tangled with you
Título Nacional: Sempre ao seu lado
Autor: Rachel Gibson
Ano de lançamento no Brasil: 2009
Editora: Jardim dos Livros
Minha avaliação:
 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

Visitas

Link-me