domingo, 27 de novembro de 2011

Resenha: Insaciável, Meg Cabot

Olá! Olha só, quem é viva sempre aparece! hehehe
Sim, eu saí de férias e depois disso, quando voltei, desandei muito um pouco com blogs e postagens. Para tentar me redimir, vou postar essa resenha. Terminei de ler o livro HOJE e não resisti em fazer essa resenha.

Sinopse: Cansado de ouvir falar de vampiros? Meena Harper também. Mas seus patrões estão fazendo ela escrever sobre eles de qualquer maneira, mesmo que Meena não acredite neles. Não que Meena não esteja familiarizada com o sobrenatural. Veja, Meena Harper sabe como vamos morrer. (Não que você vá acreditar nela. Ninguém nunca acredita). Mas nem mesmo o dom da premonição de Meena pode prepará-la para o que vai acontecer quando ela conhece – e comete o erro de se apaixonar - Lucien Antonesco, um príncipe moderno com um lado sombrio. É um lado negro que muitas pessoas, como uma antiga sociedade de caçadores de vampiros, preferiria vê-lo morto. O problema é que Lucien já está morto. Talvez por isso ele é o primeiro cara que Meena já conheceu com quem ela poderia ter um futuro. Entenda, enquanto Meena sempre foi capaz de ver o futuro de todo mundo, ela nunca foi capaz olhar para o dela própria. E quando Lucien é o que Meena jamais sonhou como namorado, de repente ele pode vir a ser tornar o seu pesadelo. Agora pode ser uma boa hora para Meena começar a aprender a prever seu próprio futuro... Se ela ainda tiver um. (Fonte: Skoob)

Meena é uma mulher jovem e independente, que trabalha como roteirista de uma novela chamada Insaciável. Ela levaria uma vida normal se não fosse pelo seu "dom" de prever a morte das pessoas e isso a atormenta, porque poucos acreditam nela. Por isso, Meena tenta ajudar da maneira que pode, sendo o mais sutil possível. Apesar do seu dom Meena tenta viver normalmente, trabalhando com afinco no roteiro de Insaciável, mesmo quando se vê obrigada a ajudar na mudança da trama para abordar um tema que ela repudia: vampiros.
Paralelamente, vários corpos de garotas são encontrados em parques, com marcas de dentes nos corpos nus e sem qualquer rastro de sangue. Esse fato chama a atenção de Lucien Antonesco e Alaric Wulf. O primeiro, é ninguém menos que o príncipe das trevas, o senhor dos vampiros. O segundo é um caçador de vampiros implacável, que trabalha para a Guarda Palatina, um serviço secreto do Vaticano para executar as criaturas das trevas - vampiros e afins.
Ao saber das mortes, Lucien embarca para os EUA a fim de tomar providências para que as mortes cessem e castigar quem desobecedeu suas ordens diretas de não matar humanos.
Já Alaric vê a oportunidade perfeita para ir atrás não apenas do assassino (ou assassinos) das jovens - porque vampiro bom é vampiro morto de verdade, mas também de matar o príncipe das trevas.
Menna conhece Lucien quando fazia um passeio com seu cachorro, Jack Bauer, e Lucien a salva de um ataque de morcegos. Os dois coincidentemente se encontram mais tarde, em um jantar promovido pela esposa do primo de Lucien, que por acaso também é vizinha de Meena.
A partir daí a história começa a ficar mais interessante. rsrs Não é apenas pelo romance, mas o desenrolar da trama é muito bem elaborado, as ironias sobre a moda de vampiros são muito boas, fora outras cutucadas, como o fato de o irmão de Meena estar desempregado devido à crise econômica dos EUA. Em alguns pontos ela foi mais sutil do que em outros, o que me proporcionou vários momentos de risos constrangedores no metrô e ônibus. rsrs

[Há um spoiler aqui, se não quiser ler, passe para o próximo parágrafo, por favor] A melhor ironia foi quando Meena se deu conta que Lucien era realmente um vampiro: o cara era simplesmente perfeito: não era gay, não era comprometido, fez o café da manhã para ela e ainda passeou com o cachorro - que o odiava. Ou seja, perfeito demais!!! E todas sabemos que homem perfeito não existe! (desculpa aí, rapazes)

[Pronto, aqui não tem spoilers] 
Eu acho incrível como a escrita da Meg Cabot consegue me cativar logo no início. Embora eu confesse que antes de Meena conhecer Lucien, eu achei que foi um pouco arrastado, mas nem tanto, a narrativa é simples e clara, como eu disse antes, dei uma boas risadas rsrs. A narrativa é em terceira pessoa e mostra pontos de vista diferente, o de Meena, de Alaric Wulf e de Lucien Antonesco, variando também para o ponto de vista do irmão de Menna, John.
O livro tem uma continuação, Overbite, que foi lançado em julho deste ano nos EUA e sem previsão ainda para lançamento no Brasil. Espero que seja logo, porque estou morrendo de curiosidade aqui!

Capa original de Overbite

Ficha técnica:
Título Nacional: Insaciável
Título Original: Insatiable
Ano de Lançamento no Brasil: 2011
Número de Páginas: 504 páginas
Editora: Galera Record
Tradutor: Regiane Winarski
Minha avaliação:
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

Visitas

Link-me